segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

a traça pálida
traça furos nas vestes
na ânsia
resgato sonhos
a imagem embaça
já não sou eu
que vivo naquelas vestes

vôo pelos retalhos
da minha infância
tudo bem guardado
e corroído
há saudade com naftalina
espalhada pelos cantos
disperso...
não é hora de velar
o passado

2 comentários:

Clarice disse...

Ótima iniciativa!!! Uma boa forma de divulgar um trabalho tão apurado. Parabéns pelo blog.

Izabelle Costa disse...

Concordo com você, Clara.
Que bom que teremos acesso à produção dessa fabulosa escritora!