terça-feira, 8 de setembro de 2009

ousadia


minha casa era ninho
eu ave rapineira
quis voar
buscar o mar
o ar

sem direção
lancei-me
pelos quatro cantos

todos dormiam
ainda dormem
e eu pernoito
por outras terras
desnudo versos
sou um hiato
naquele lar

4 comentários:

Clarice Fernandes disse...

Lindo...
Te amo, mãe!

Lucimary Vargas disse...

Querida Fátima,

Estou literalmente encantada com o seu blog, com o seu trabalho.
Sou sua fã e seguidora. Tenho orgulho de ter conhecido, convivido e trabalhado com uma pessoa tão especial e guerreira como você.
Hoje, alguns quilômetros nos separam fisicamente, mas não o sentimento que trago aqui no meu peito.
SAUDADES, MUITAS! Você não imagina o quanto!
Amo-te, doce amiga! E nada neste mundo apagará o que vivenciamos e compartilhamos!
Deus a cubra com as mais ricas e abundantes bênçãos.
Beijão no seu coração e no da Clarice.
Lucimary

Vanessa disse...

Profundo...
Beijocas
Va

Marion disse...

Essa da música, hein??
Beijos